Samba de Gafieira Tradicional

É considerada elegante e técnica, porém se mantém a “malandragem” e desenvoltura do bailarino e a bailarina esbanja sensualidade e molejo dos quadris. A coreografia é acompanhada de música em compasso binário e ritmo sincopado. Uma das principais características a ser observadas no estilo Samba de Gafieira, é a atitude do bailarino frente a sua dama: malandragem, proteção, exposição à elegância e ritmo. No momento da dança o homem conduz a sua dama e nunca o contrário. Dançando, o citado “malandro” sempre protege a dama, dá a ela espaço, exibindo-a ao salão e ao mesmo tempo impedindo que outro homem venha tirá-la para dançar. Como gênero musical o Samba de Gafieira, é composto pensando nos passos dos dançarinos. Esses gêneros incluem: o Samba-Choro (especialmente o chamado Choro de Gafieira), o Samba de Breque e o Samba Sincopado. História do Samba Por muitos anos da história do Brasil, o termo “batuque” era a denominação comum a qualquer manifestação que reunisse canto, dança e uso de instrumentos dos negros. No início do século XX, a palavra “samba” passou a substituir a palavra “batuque”. Em meados do século XIX, a palavra “samba” definia diferentes tipos de músicas introduzidas pelos escravos africanos. No Brasil, acredita-se que o termo “samba” surgiu da palavra “semba” (umbigada), palavra de origem africana – possivelmente oriunda de Angola. No início do século XX, houve imigração do negro da Bahia para o Rio de Janeiro, então a literatura carioca já registrava frequentemente o termo samba, que àquela altura estava ficando cada vez mais urbano e começava uma mistura no Rio de Janeiro. Comparado com o maxixe e o tango, aos poucos o Samba de Gafieira estava sendo criado, já dispondo de instrumentos percussivos, foi gradualmente ganhando popularidade como ritmo musical do Rio de Janeiro. De origem africana, ritmo forte, envolvente e característico, o samba se tornou um símbolo no Brasil. O Samba de Gafieira não era bem visto pela sociedade, pois não correspondia à moral e aos bons costumes da época, talvez por ressaltar a sensualidade e o gingado da mulher, ou por ser costumeiramente dançado em cabarés naquele tempo. Com o passar do tempo o samba começa a ganhar classe, com intérpretes, músicas e letras que são verdadeiros poemas, além de ganhar status de “música nacional” e reconhecimento dentro de setores da elite da cultural nacional, dentre eles, o maestro Heitor Villa-Lobos, depois disso o samba só ganhou mais classe e elegância, tanto a música como a dança e, e ganhou gênios da música brasileira como: Noel Rosa, Dorival Caymmi, Cartola, Donga, Pixinguinha e muitos outros que foram surgindo e surgem até hoje, tornando o samba um ritmo único, que representa uma cultura e uma dança única que mistura elegância, cavalheirismo, ginga e malandragem. Sotaques do Samba de Gafieira Samba de Gafieira liso: O próprio nome já nos dá uma dica de como os corpos dos casais atuam neste tipo. A postura tem um ar mais aristocrático e busca-se a elegância. Os pares dançam próximos e o alinhamento é mais vertical tendendo à manutenção de um padrão mais ereto. A ginga continua presente na maneira de dançar, porém aparece mais discreta e, em minha opinião, faz uma referência à figura do estereótipo do malandro, mas apresentando mais polimento. Samba de Gafieira Tradicional: Observando agora o estilo tradicional, a ginga ganha maior destaque e importância, a flexão dos joelhos dos dançarinos ganha ênfase e o balanço dos corpos ao dançar se evidencia, a postura aparece mais relaxada, e em diversos momentos o dançarino se conecta apenas com o braço direito abraçando as costas da sua dama e ela com o esquerdo enlaçando seu cavalheiro. O alinhamento corporal perde a verticalidade do estilo clássico e o quadril dos dançarinos ganha uma projeção anterior (para trás), o que provoca um distanciamento entre os pares, que dançam conectados, mas não tão juntos. Samba Funkeado: Para terminar nossa análise, vamos ao Samba Funkeado. Certamente a mais nova das formas de se dançar Samba de Gafieira apresentadas aqui. Como maior característica, podemos citar as qualidades de movimento. Aproveitando os conceitos de Laban, falamos ainda que o fluxo da dança é predominantemente interrompido, com movimentos que aceleram e freiam rapidamente a todo o momento. Desta forma, tanto o trabalho de tempo quanto o fluxo são muito diferentes dos estilos que vimos anteriormente. Passos do Samba de Gafieira Como todos sabem na dança de salão não existe uma nomenclatura muito clara de passos e cada região tem um nome esses são os mais conhecidos e populares. Malandro Bailarina Puladinho Trança Romário Peão Músicas Como gênero musical, o Samba de Gafieira é composto pensando nos passos dos dançarinos. Esses gêneros incluem: o Samba-Choro (especialmente o chamado Choro de Gafieira), o Samba de Breque e o Samba Sincopado.

Top 10 Professores